quarta-feira, 17 de junho de 2009

Azulejos

(among the clouds by lastcionz - deviantart)



Ontem mirei um céu de azulejos

E, perdido entre nuvens, ousei perguntar

Para onde voaram meus sonhos?

Que terras mais frias foram eles buscar?

Onde termina a verdade e se inicia a vida?

Céu de revelações

Azul salpicado aqui e acolá de prenúncios

Brancas maneiras de se sentir vivo

Vertigem, vórtice, veraneio sem fim

Uma tarde amena para enlevar a alma

Brisa quente desenevoando a percepção

Uma ou outra questão esquecida

Uma ou outra maneira de se dizer sim

Velas que não se apagam ao vento

Saudade todos os dias

Saudade de todo dia ser assim

7 comentários:

Thomaz Ribeiro disse...

Como é bom ter nossas saudades e pensamentos espalhados pelo vento. Às vezes é preciso estar aéreo para copreender o que está ao nosso redor. Belo texto.
Gostei do seu blog e aproveito para propor uma parceria de links.
O meu endereço é:
http://aspalavrasqueoventoleva.blogspot.com/
e
http://thomazribeiro.blogspot.com/

Abraços.

Dora disse...

Às vezes, o meu céu parece mais um mosaico de tão quebrado. Mas eu sempre resisto. Tenho pavor à amargura... rs rs rs

E espero que a dureza fria dos azulejos dê logo lugar à antiga e melhor forma do céu...

:]

Marília Silveira disse...

Aqui meus sonhos são regados a noites frias há menos de 9o graus... de verdade. Só um vinho pra aquecer. belo poema amigo. esse dias quentes deixam a gente no ar, o frio nos traz a certas tristes realidades... inverno gaúcho é isso.

beijos!
Mari

Narradora disse...

Adoro tardes assim... Coisa boa é essa saudade.
Bjs

Zélia disse...

Joãoooooooooooooooo,

Eu já ia perguntar por vc. Tenho certeza que já tinha lido sobre esse teu "céu de azulejos" e tinha certeza que já havia deixado um comentário aqui. Mas lembro,agora, vagamente que tive problemas na postagem. Que seja! Voltar aqui e ler o teu poema outra vez me deu tanto prazer quanto da primeira vez. Ficou perfeito!

E eu também tenho meu "céu de azulejo"...

;)

*blackcat* disse...

Oiiii...
Lendo teu texto, lembrei de dias que, quando consigo olhar pela janela e admirar o céu ao entardecer e que especialmente neste horário que é o que mais gosto, as cores geralmente são as mais lindas. Vem esse gosto de saudade, saudades boas de ter, o peito fica apertado, mas são boas lembranças, bons sentimentos.
Gosto disso, gostei de ler...;)

Bjos!!!

Camilla Tebet disse...

Eu também me pergunto ( e quase nunca à lua) onde foram parar meus sonhos. Será que eles só mudaram a feição e viraram realidade? Será que se perderam? De qualquer jeito no seu cenário é bom pensar em tudo isso.