quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Senhor do Tempo

Foto por Caleum - DeviantArt




O poeta lança grãos

Colhe vento

Colhe ventania

Colhe garoa, chuva, temporal

O poeta, senhor do tempo

Faz sua própria previsão

Dia claro, folha em branco

Busca palavras

Cria vocabulário

Dança a pena sobre o papel

Escreve para si, encontra o outro

Abraço literário

O poeta, este senhor do tempo

Cria o clima ao bel prazer

Faz sol se esconder

Traz nuvem só para regar jardim

E suas flores lançam a verdade do dia

Convite à fantasia

Festa, ode, poesia

O poeta faz sua previsão com rebeldia

Quem pode resistir

Ao senhor da boemia?

7 comentários:

alice disse...

Minha receita. Não tenho receita de café diferente, mas faço bolo de café. Serve? :)

And here I stand reading...

Poema bom e bem escrito. Não basta sentar e mandar ver num poema que nada vai dizer. Poeta sabe seus motivos. Fazer sol, fingir, viver tempos e ainda ser humano num mundo que não entende muito a linguagem poética.

I'm back, Friend.

Camilla Tebet disse...

Ninguém resiste ao bom poema, não aqueles de bons ouvidos. e o João poeta continua dando previsão de sol e muita arco- iris por aqui, e só por aqui.

victor disse...

Poeta, senhor do tempo e da palavra. Poeta um rebelde no caminho certo. Abraços

Narradora disse...

"Escreve para si, encontra o outro
Abraço literário"

Isso eu acho incrível!
Lindo poema.
Bjs

Ana Fernandes disse...

"Quem pode resistir ao senhor da boemia?"

E a poesia?

A poesia é mesmo irresistível, e escrita assim de maneira tão simples e completa deixa no ar a vontade de querer sempre mais. Ler você em poesia é sempre necessário para fomentar a imaginação.

Beijos ao meu Poeta!

Zélia Palmeira disse...

Um poeta é o Senhor de tudo!E,exatamente por isso,ele é Senhor do Tempo.Ele pode tudo e cura tudo.Agora,eu quero "nuvem só pra regar jardim".Tenho o que quero...

Dizer que você sabe "organizar as palavras" pra expressar sentimento,desnecessário.Você é "Senhor do Tempo"...

Bjo grande! ;)

Marília Silveira disse...

Delicioso, João! Delicioso...

Receita? a mais clássica, inicia com a letra maiúscula e termina com o ponto final - no meio coloca as idéias. É do Oscar Wild se não me engano.

trilha sonora divina!