segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Primazia Primata

(Gravura por Loyin - DeviantArt)



Somos escravos. Massa disforme e conforme mandam nossos delírios de grandeza. Colhemos em plantação alheia, escrevemos bilhetes de geladeira, beijamos sem prazer e, obcecados, açoitamos nossos amores e os reduzimos a pó. Somos meliantes, somos forasteiros, somos balzaquianos, somos freudianos, somos lacanianos, somos tese de doutorado, somos, no fim de tudo, estatística do IBGE. Verborrágicos, lacônicos, arrogantes e pretensamente verdadeiros. Somos pré-conceitos. Somos o supra-sumo da criação, o máximo da evolução e, em nossa megalomania, não abrimos nem para um trem. Fingimos inocência, pesar, choro e ranger de dentes. Tememos a morte, a senilidade, a falta do desejo, a bomba atômica, o velho do saco, as idéias de Bush e as calorias da torta de morango. Tememos os ratos e votamos neles para governarem nossos recursos. Ajoelhamos todos as noites de braços dados com Sade e Sacher-Marzoch e nos masturbamos xingando, atanazando, vendando, espancando, chicoteando, batendo, queimando, estuprando, esfaqueando, estrangulando e mutilando a nossa vida.Somos escravos. Mentimos sem o menor rubor para mantermos o status quo. Somos covardes. Somos um caldo difuso, expressão cáustica de um não-viver atônito, perplexo e sem destino. Montamos uma farsa com base em uma cultura digna dos piores vitupérios, violada e volatilizada ao sabor dos mercados. E não nos damos conta. Caminharemos até o fim do mundo como Alice, o Leão, o Espantalho e o Homem de Lata: de braços dados e recitando poemas mal acabados. Somos escravos. Somos primatas. Macacos treinados brincando de deus em troca de bananas. Somos a primazia do mundo que alegremente arremessamos na latrina.

4 comentários:

alice disse...

Eu tinha feito um comentário, mas deu um treco aqui e sumiu. Mas vou repetir.

Sou isso tudo aí. Não aguento essa gente que se diz perfeita e anda descontente sofrendo por dentro. Sou pequena e tento fazer o melhor dentro do pior que faço. Quebro a cara e volto e sou cidadã brasileira e não frequento igreja e tenho tanto pecado que vou morar no purgatório. :)

O pior é tentar andar na linha e perceber que a linha entorta porque você estava andando fora dela.

Texto perfeito, bom demais e muitos adjetivos de elogio. Sei que tá difícil de acompanhar meu ritmo, mas é que sofro desse mal de escrever e sempre tenho tempo entre as batalhas. Se preocupa em comentar tudo não, John. Sei q vc lê quando pode.

Bjs...

And take care, Writer.

Camilla Tebet disse...

Putz.... The best. Que foi isso que li? Um desabafo com palavras de quem sabe o que diz e como o faz. Putz grilo, que texto. Que texto João, que texto.

Ana Fernandes disse...

João,

O fato de alguém escrever sobre a supremacia do ser humano sobre si mesmo já é uma boa razão crer que não somos nada!!!

Sabe de uma coisa? Talvez não exista luz no fim do túnel, pelo menos não ao alcançe das mãos!

Esse texto me fez pensar e repensar sobre coisas que me incomodam cotidianamente e que provavelmente se perpetuarão...

Bjs, e estou por aqui...

Narradora disse...

Impactante, fora do morno, faz sentir.
Muito bom.
bj