sábado, 16 de abril de 2011

Carbono Repetitivo

carbon por Kralik Setite (deviantart.com)


Mais do mesmo me enfada

A repetição me enfada

A repetição me enfada

A repetição me enfada

Mais do mesmo

Sempre mais do mesmo

Os verões passam, passam-se os dias

Fica-se mais velho, o sol fica mais frio

E caminha-se? Não, nem mesmo a passo de formiga

Patinação eterna, mesma paisagem

Percam-se as esperanças

Ninguém é um floco de neve, único e especial

Somos apenas carbono ambulante, falante, mesquinho e repetitivo

Mais do mesmo, e me enfado

Tudo azul, mas azul à maneira inglesa

Há quem viva trinta anos

Há quem viva cem anos

No fim, ambos ganham o mesmo prêmio

A morte, amiga certa, destino errado

No segundo caso há de se ganhar um pouco mais de tédio

E é só

Termômetro pendurado no poste marca 30 graus

Lá fora cai a neve

Cai neve aqui dentro

Um comentário:

Thomaz Ribeiro disse...

A melhor receita parece mesmo acomodar-se e esperar.