domingo, 9 de agosto de 2009

Crise de Idade Inteira

train by parawan - deviantart



Não temo o raio da silibrina

Não desejo a mulher que nunca dorme só

Não sinto falta da dúvida e há muito não sei o que é perguntar

Não vejo luz no túnel, nem mesmo sei onde fica sua entrada

Não transcrevo conversa fiada

Não tomo partido, não tomo inteiro

Não tenho jeito para galã

Não sei o que é febre terçã

Não seguro a onda, não seguro o vento

Não conheço os pontos cardeais

Não abrigo a maldade, não obrigo ninguém

Não entendo você, nem mesmo eu também

Não torço pelo vencedor

Não me deixo enganar, não sou perdedor

Não perco tempo com mesquinharias

Não tenho um vintém

Não acho estranho o diferente, não faço desdém

Não sei o que quero, não sei onde vou, não olho o trem


Outrora julgava-me capaz de dominar o mundo. E esta é das poucas frustrações que roubam-me o sono. A certeza que tenho é que não consegui meu intento. Hoje sei que foi ele quem me dominou. Não é crise de meia-idade, é crise de idade inteira. Lembro-me do Zeca e seu copo de cerveja que nunca seca. Lembro que é a vida que leva eu. E converso com meus botões fartos de ouvir minhas conjecturas. Abro a lata, vamos bater lata, vamos fazer retirada estratégica, voltemos à prancheta, let’s buy a ticket to ride, e continuemos a seguir em frente. Por isso, escrevo. Aqui, quem manda sou eu.

11 comentários:

Thomaz Ribeiro disse...

É meu caro, às vezes dá essa sensação de nau à deriva. Às vezes nem passamos pela vida, é ela que passa pela gente.

Eveline disse...

"Não sei o que quero, não sei onde vou, não olho o trem..."

Assim também sigo, sem saber dos paradoxos e vivo em meio das antíteses.
Também sou viciada em café e em cinema... =)
Gostei daqui, viu?
Abraços,Eveline

Irônica Flor disse...

"Aqui quem manda sou eu"
Sabe que essa sensação é uma das coisas que mais me dão prazer em escrever?

O sentimento de total e absoluto controle das coisas me deixa segura. As rédeas em minhas mãos.

Marília Silveira disse...

Querido João!

escrita é conselheira das reflexões, é pela 1a que damos passagem à 2a.

beijo

Carolina Braga disse...

E apesar de tantos "nãos"....

Este seu post me fez lembrar de Lispector:

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, espararei quanto tempo for preciso."

Rapaz, gostei muito daqui... não dá nem vontade de ir embora por causa da trilha sonora do blog! Uma das melhores descobertas que tive nessa madrugada tediosa foi encontrar esse espaço virtual! Ah, sempre digo que todos nós temos uma trilha sonora de cinema, um filme, uma música e uma boa lembrança de quando compartilhamos um café com um amigo! Parabéns pelo blog. Voltatei mais vezes aqui.

Narradora disse...

Billie Holiday me acompanha no texto...
Às vezes é parando um pouco de nadar que a gente consegue ver toda imensidão do mar.
Bjs

Zélia disse...

Adorei! Tudo! E, principalmente, o "aqui, quem manda sou eu". Com crise ou sem crise a gente tem mesmo é que seguir. Olhar o trem pode nos levar embora - triste de quem quer ir antes da hora. Temos que continuar. A vida nos leva mas nós podemos dizer a direção se quisermos. Voltamos ao: "aqui, quem manda sou eu". Lembrei até de "O alto da compadecida" e as fantasias da mulher do padeiro que pedia para seus homens repetirem sempre "quem manda aqui sou eu". "Aí que eu adoro homem valente", dizia ela. kkkkkkkkkkk

Sim! E mulher que nunca dorme só não se merece...

Bjo!

Letícia disse...

Faz um século que não venho aqui. É a crise que me alcança.


Gostei demais e você sabe refazer discursos que eu esqueço de vez em quando. And let's buy a ticket to ride.

E também não vejo luz ou túnel.

Beijos, John.

Carolina disse...

João Neto,

Muito obrigada pela sua visita e pelo seu comentário!

Abraços!

Kamil disse...

Hello!

Rest of my deviantarts are here:
http://parawan.deviantart.com/

Cheers!

Camilla Tebet disse...

Sim, aqui quem manda é vc. Criemos então um cantinho, mesmo que virtual para que pelo menos ali possamos mandar. O resto.. ticket to everywhere... going with the flow.. always in mind that it takes two to tango. E pra dois,é melhor ter alguma ordem.
Ando atrás dessas coisas também.
Salve, salve.
Gosto de ler aqui,onde vc manda.